Igreja debate aborto em Curitiba

A Diocese Anglicana do Paraná realiza, em parceira com o Programa de Pós-Graduação em Bioética da PUCPR uma mesa redonda para debater casos em que o aborto é permitido por lei no Brasil. O evento é uma reação a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 181/2015, que pretende criminalizar todas as formas de aborto, inclusive em casos de estupro.

O evento cujo título é “Abortos previstos em lei: um debate sobre o papel das igrejas frente o retrocesso legislativo” faz parte do compromisso de todas as igrejas anglicanas na defesa intransigente da vida, da dignidade da pessoa humana e dos direitos das mulheres, e ocorre também no contexto dos 16 dias de ativismo pelo fim da violência contra a mulher.

A Mesa Redonda com debate irá acontecer na quarta-feira, 06 de dezembro de 2017, às 19h, na Catedral Anglicana de São Tiago. Avenida Sete de Setembro, nº 3927, em frente ao Shopping Curitiba.

A PEC 181/2015

O evento se realiza à luz da aprovação de parecer favorável à PEC 181/2015 na Câmara dos Deputados em 08 de novembro de 2017, uma proposta que, nas palavras da Procuradora da República Deborah Duprat, “eliminará a possibilidade de o legislador […] criar causas de […] despenalização do aborto, tornando criminosas as condutas hoje permitidas […]; e ensejará igual sanção aos crimes de homicídio, infanticídio e aborto”[1]. Diante disso, a Diocese Anglicana do Paraná tem o desejo de se unir às forças progressistas da sociedade brasileira, fomentando a cultura de paz e tolerância na defesa intransigente dos direitos das mulheres.

O PAPEL DA IGREJA EM CASOS DE ABORTO

Diante de um evento tão traumático quanto um estupro, o que se pode dizer a uma mulher que carrega dentro de si a lembrança de tamanha violação? Quais as implicações éticas e teológicas e qual conforto se oferece às vítimas? Essas são questões tratadas no cotidiano de uma sociedade onde os índices de violência contra a mulher não param de crescer. Questões diárias de qualquer instituição religiosa.

MESA REDONDA E DEBATE

Diante de tema tão complexo, nossa Diocese buscou pareceria com o Programa de Pós-Graduação em Bioética da Pontifícia Universidade Católica do Paraná para realização de uma mesa redonda com especialistas em bioética, direito e teologia.

Comporão a mesa redonda: o Prof. Dr. Mário Antônio Sanches[2], Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Bioética da Pontifícia Universidade Católica do Paraná, que irá abordar os casos de abortamento legal numa perspectiva da bioética; a Reverenda Lilian Conceição da Silva Pessoa de Lira[3], da Diocese Anglicana de Recife, doutora em Teologia com especialização em questões de gênero e movimento organizado de mulheres, que irá abordar a questão do ponto de vista dos movimentos feministas e da teologia protestante; a advogada Letícia Regina Camargo Kreuz[4], mestra e doutoranda em direito pela UFPR, que irá abordar a questão do ponto de vista legal e da Doutrina Jurídica, em escopo constitucionalista.

O Debate será pautado, ainda, pelas falas de uma clériga da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil, uma
Sacerdotisa do Candomblé, uma representante do movimento Católicas Pelo Direito de Decidir e uma representante de movimentos ecumênicos ligados a causas sociais. A Arquidiocese da Igreja Católica Romana também será convidada a enviar um representante.

A IGREJA ANGLICANA

Representante em território brasileiro do Anglicanismo, ramo do protestantismo surgido na Inglaterra a partir de 1534, a Igreja Episcopal Anglicana do Brasil funciona em território nacional desde 1889, com 9 dioceses. A Diocese Anglicana do Paraná, fundada em 2004, tem representação em todo o estado do Paraná e é sediada na Catedral Anglicana de São Tiago, que funciona na Avenida Sete de Setembro desde 1975 e na cidade de Curitiba desde 1954.

O anglicanismo é considerado um dos ramos mais progressistas do chamado protestantismo histórico. A Igreja Episcopal Anglicana do Brasil é reconhecida por sua posição firme na defesa dos direitos das mulheres, pessoas LGBT e outras minorias.

[1] DUPRAT, D. “PEC 181/2015 – Vícios e Perversidades”. JOTA. 15 de novembro de 2017. Disponível em: https://jota.info/artigos/pec-1812015-vicios-e-perversidades-15112017

[2] Currículo Lattes:  http://lattes.cnpq.br/3895854709901233

[3] Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/5340516632893519

[4] Currículo Lattes:  http://lattes.cnpq.br/0529752315402429

Sua opinião é importante para nossa Diocese!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: